Star Wars Day – Entrevistamos Chris Taylor, autor de Como Star Wars Conquistou o Universo

Star Wars Day – Entrevistamos Chris Taylor, autor de Como Star Wars Conquistou o Universo

Nota do editor: Vejam a cara de feliz do anão em sua primeira entrevista

Salve salve galerinha da força!
Pra comemorar com estilo o Star wars day resgatamos essa entrevista feita em 2015 com  Chris Taylor, autor do livro “Como Star Wars Conquistou o Universo”, publicado aqui no Brasil pela editora Aleph.

Segue a entrevista com o autor, e pra quem tiver dificuldade com o meu inglês nórdico, é só acompanhar a tradução ali embaixo, certo? 😀

Duran: What are your thoughts about Brazil?
O que você está achando do Brasil?

Chris Taylor: Well, I’ve just got here about two days ago, but so far it’s been wonderful.  The fans here are so passional, I’m loving to meeting everyone and yeah…I’m starting  to feel the samba, you know…feeling the vibe.
Bom, estou aqui há dois dias mas, de longe, está sendo maravilhoso. Os fãs aqui são tão apaixonados e estou adorando conhecer todo mundo…então, é… estou começando a sentir o ‘samba’ sabe? Estou começando a sentir a vibe.

Duran: Did you learn how to samba?
Você aprendeu a sambar?

Chris Taylor: Not yet, but I’m feeling it.
Ainda não. Mas estou sentindo.

Duran: Don’t feel bad, I’m a brazilian and I don’t know how to ‘samba’. What is the difference between the old and the new generation of fans?
Não se sinta mal. Sou brasileiro e não sei como sambar. Qual a diferença entre os fãs da antiga e da nova geração?

Chris Taylor: I don’t know that there is so much difference. I mean..I think that what difference there, is what you come star wars through. You know, some people come at through Clone Wars, some people through at Star Wars Rebels, you know…the cartoons, some people come through prequel trilogies, some people come trough original trilogies, some people through the books. But there’s always ‘the cases’. I came Star Wars through a cereal box. I talked about that in the book. A lots of people read the novels of Star Wars before they saw the movie because the novel came out that first, so… I really think there’s more that unites different generations than that divides them.
Eu não sei se há tanta diferença…quero dizer, se houver, acho que é na forma como Star Wars é apresentado. Você sabe, algumas pessoas conhecem pelo Clone Wars, outras pelo Star Wars Rebels, os desenhos… Algumas pessoas conhecem pela nova trilogia, outras pela antiga trilogia, outras pelos livros. Mas sempre há alguns ‘casos’. Eu fui apresentado através de uma caixa de cereal. Inclusive falo sobre isso no livro. Muitas pessoas leem primeiro os livros antes de ver os filmes porque eles vieram primeiro então… eu realmente acho que esse tipo de coisa une mais do que divide a geração de fãs.

Duran:Do you remember when you’ve been introduced into the star wars universe?
Você se lembra como foi introduzido ao Universo de Star Wars?

Chris Taylor: Yes, well.. like I said, I first… it took me a while to track this down, but I first saw in the back of cereal box and it  started to show upon TV. There was in 1978, I was 5 years old, and… I don’t remember that much better, but then I read the comic books, than I read the novel, and then only in 1982 did I finally, finally see the film. And by that time I’ve seen so many other forms of media. It’s seems like was a film of the book instead the other way round.
                  Sim, bom…como eu disse, apesar de ter levado um tempo pra me pegar de jeito , eu conheci primeiro através da parte de trás da caixa do cereal e aí começou a passar na TV. Isso foi em 1978, e eu tinha 5 anos de idade, então…não me lembro muito bem desse tempo, mas li os quadrinhos, depois li os livros, e aí só em 1982 que eu pude finalmente ver o filme. E até então eu tinha visto tantas outras formas de mídia do Star Wars. Parece que era o filme do livro, ao invés do contrário.

Duran: You’re a great fan of star wars, right?
Você é um grande fã de Star Wars, certo?

Chris Taylor: I wouldn’t say ‘a great fan’. I definitively love since that I was kid, I’m still loving…you know…with all these sentimental feeling. But I wasn’t a great fan of the prequel movies so, you know…that’s turn me off a little bit, but not so much that I hated then. And I think that it was good cause I dont think you can write a book like these if you are too passional, if you are too much fan. You need some distance.
Eu não diria um ‘grande fã’. Eu definitivamente amo desde quando era pequeno, e continuo amando com todos os meus sentimentos. Mas eu não gosto da nova trilogia, então… ela me decepcionou um pouco, mas não a ponto de eu odiá-la. E eu acho que esse tipo de coisa é bom porque eu não acho que você pode escrever um livro como esse se você é muito fã, se você é muito apaixonado. Você tem que manter certa distância.

Duran: There’s much of your fan side in the book?
Mas há muito do seu lado fã nesse livro?

Chris Taylor: I wanted to transmit the passion of all the fans. I wanted to talk to the people from the 501st legion, tell the story of how that started; the fans who builted R2-D2… I wanted to tell about whole story, but having some distance from it. But, yes, I more fan now because of the book.
Eu queria transmitir a paixão de todos os fãs. Eu queria falar com as pessoas da 501st Legion, contar a história de como começou, os fãs que construíram o R2-D2… Eu queria contar sobre toda a história, mas mantendo certa distância disso. Mas, sim, estou mais fã agora por causa do livro.

Duran: What is your favorite star wars character?
Qual seu personagem favorito do Star Wars?

Chris Taylor: You know…that changed because of the book, but used to be Luke Skywalker. And then Han Solo. But then because of the book, reading about R2-D2 and how George Lucas thinks the whole movie, all of the movies are being told by R2-D2 a hundred years in the future and he doesn’t get his memories wiped in the end of the episode three. He said he’s the only character who knows everything. He’s really the power of behind the scenes.
Você sabe… isso muda por causa do livro, mas costumava ser o Luke Skywalker. Depois veio Han Solo. Mas, por causa do livro, lendo sobre o R2-D2 e como George Lucas imagicou todos os filmes sendo contados por ele 100 anos no futuro com suas memórias ainda ali no final do terceiro episódio…Ele diz que o R2-D2 é o unico personagem que sabe de tudo. Ele é realmente a peça chave de tudo.

Duran: Do you think that Han shot first?
Você acha que Han Solo atirou primeiro?

Chris Taylor: Haha. Actually, Han shot Solo. Shot by himself. There’s no Greedo shot.
Haha. Na verdade, Han Solo se ‘auto-atirou’. Não teve um tiro do Greedo.

Duran: What is the most difficult thing when you write about something as big as Star wars?
Qual foi a maior dificuldade de escrever sobre algo tão como grande como Star Wars?

Chris Taylor: Keeping all in your brain at the same time. There’s so much that is impossible for one brain to keep all in. And there’s always something new. I kept find new interviews with George Lucas in obscure magazines. I kept meeting  new fans who have interesting stories and of course as  I was writing this (the book) (this is most really difficult thing) we were learning more and more about the episode 7 and then the expanded universe was killed. There’s so much change during the writing of the book that there’s a very difficult.  It’s living history.
A coisa mais dificil de escrever sobre Star Wars é manter tudo na sua cabeça. Há tanta coisa, tanta informação que é impossível pra uma cabeça só. E sempre aparece algo novo. Eu continuo achando novas entrevistas com George Lucas em revistas não conhecidas. Continuo me encontrando com fãs que tem histórias interessantes e, é claro, enquanto estive escrevendo sobre o livro, nós aprendemos cada vez mais sobre o Episódio 7 e com o universo expandido sendo morto… Teve tanta coisa acontecendo durante a produção desse livro que realmente senti tudo ficar muito díficil. Star Wars é uma história ainda viva.

Duran: Do you consider yourself a sith or a Jedi?
Você se considera Sith ou Jedi?

Chris Taylor: Definitively Jedi…ocasionally sith…or more and less.
Definitivamente Jedi… ocasionalmente Sith. Depende.

Agradecemos  à editora Aleph e ao querido Guilherme Vertamatti lá do Meia lua , sem os quais essa entrevista não acontecido.

E pra quem quiser comprar o livro ele está disponível clicando neste link:

star wars book

Nota do editor: Optamos por colocar também o texto em inglês, se alguma canelada passou, envie pra gente nos comentários.

 

Share Button